quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Misticismo Cristão no Natal - Resposta ao Leitor

"Só gostaria que me ajudasse a esclarecer uma coisa: existem uns loucos por aí dizendo que a guirlanda é maldita poi significa a coroa de espinhos, papai noel é maldito pois tem a mesma malignidade do rei momo, o pinheiro de Natal é maldito pois tem a malignidade de Baal onde faziam sacrifícios a ele, as bolas de Natal eram cabeças de crianças decaptadas...Não creio em nada disso, mas gostaria da sua opinião sobre isso!" - Ivelise.

Oi Ivelise! Bom te ver por aqui. Seus comentários são sempre presentes e pertinentes e isso deixa qualquer blogueiro feliz. Desculpe-me a demora em responder, estou bastante apertado neste final de semestre.

Bom vamos lá. Estas pessoas de que você está falando não são loucas (apesar que de vez em quando dá vontade de internar alguns - hehe). Elas estão "apenas" envolvidas com o "bom" e velho misticismo que assola a Igreja desde os primeiros séculos.

Esse negócio de ver o diabo em tudo é algo muito comum em alguns crentes místicos que desconhecem a verdade de que tudo neste mundo é de Deus, e isso inclui o diabo. Como disse Calvino, "o diabo é o diabo de Deus".

A meu ver a única "malignidade" ou "maldição" presentes nestes objetos que você citou está no fato de que eles nos afastam da verdade das Escrituras, ou seja, nos desviam do foco principal do Natal - o nascimento do Filho de Deus . Pensando nisto podemos até dizer que são diabólicas. Contudo estes itens não possuem qualquer poder sobrenatural em si mesmos, nem proveniente de qualquer associação simbólica.

Entendo que todo bom cristão faz muito bem em não se associar a qualquer tipo de ideologia natalina que o desvie do verdadeiro foco - Cristo. Com isso quero dizer que não vejo pecado em enfeitar uma árvore de natal, contudo não recomendo que se faça, nem faço apologia a esta prática. Se fizer, exponha claramente a seus filhos que o verdadeiro sentido do natal é o que o Filho de Deus, Jesus, nasceu neste mundo como um relis mortal como eu e você, não para nos fazer uma visitinha cordial, mas para morrer numa cruz por causa dos nossos pecados e nos garantir assim uma vida eterna com Deus. Papai noel não é nada além de um produto de marketing e a arvore ,é apenas um enfeite sem qualquer importancia significativa.

Um grande abraço pra você e sua família.
Marcelo Batista Dias

6 comentários:

Anderson disse...

O problema é de matemática. O que os "crentes místicos" não entendem é que ídolos são nulidades, são um zero. E zero não adiciona nem subtrai.

O mal, como sempre, está na idolatria, isto é, quando se dá valor a essas coisas que não tem valor, pois não adicionam nem subtrai. Nesse caso, é o crente que está subtraindo Cristo da sua vida, por engano dele e não por obra do ídolo.

Filósofo Calvinista disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Filósofo Calvinista disse...

Parabéns pela resposta equilibrada e sábia que deu à sua leitora. Resposta que só um calvinista pode dar..rs. Deixa apenas colocar um pouco de lenha na fogueira: quanto ao resto eu não sei, mas quanto a "papei noel" na enciclopédia britânica tem uma informação interessante: diz que ele (pelo menos alguem que deu início à lenda), de fato, existiu. Diz ainda que era um velho pedófilo que atraia as crianças com presentes. Portanto, nada de sentar no colo do bom velhinho....rs. Mas falando um pouco mais sério, faço a seguinte indagação a você e a seus leitores: Natal é coisa de cristão reformado? Será mesmo mesmo que devemos comemorar o natal? (são apenas indagações sem respostas prontas ok?). Pergunto isso porque não encontramos nas escrituras nenhum lugar mandando comemorar o "natal", isto é, o nascimento de Cristo. Existe, entretanto, vasta recomendação para comemorar a morte seguida da ressureição. Nossos símbolos de fé, especificamente o Catecismo Maior, quando estuda "O estado de humilhação e de exaltação de Cristo", coloca o nascimento como algo que, de fato, "humilhou Deus", no sentido de ser estado de humilhação de Cristo; ao mesmo tempo em que, sua ressureição é vista como estado de exaltação. A questão é: devemos comemorar o estado de humilhação ou de exaltação de Cristo? Fica no ar...gostaria de ver suas respostas. Desculpem não citar literalmente as referências que acabei de fazer, pois estou na hora do almoço, no trabalho e não estou com os textos aqui. Tudo de bom e parabéns pelo blog.

Marcelo Batista Dias disse...

Boa Anderson,

É exatamente esse o problema da maioria dos cristãos e não apenas dos "misticos".

"meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento".
Oseias 4:6

Abrçs
Marcelo.

Marcelo Batista Dias disse...

Meu caro Filosofo Calvinista,

Seu comentário é jóia!

Particularmente nao vejo problema em se lembrar em uma data do ano, o nascimento de Cristo. Meu problema é quanto à comercialização desta data e todo desvio do foco que ela produz.

Faço contudo a mesma ressalva que voce fez. O nascimento de Cristo não pode ser tratado à parte de sua obra redentora e isso inclui a questão da humilhação que você levantou.

Não posso falar do nascimento do Filho de Deus sem me perguntar porque e para quê o próprio Deus nsaceu de forma tão humilhante naquele dia, que em termos de datação lembremo-nos é desconhecido de todos nós.

Por isso (como disse no post: http://eclesiareformanda.blogspot.com/2009/11/entao-e-natal-ne.html), natal para mim é tempo de alegria e de 'tristeza'. Alegria porque nasceu o salvador, 'tristeza' porque ele nasceu da forma que nasceu por minha causa.

É isso aí.
Um Abraço.
Marcelo

Aparecida disse...

Ao filósofo Calvinista...rsrs, não tem nome?
olha quero ser o mais objetivo possível; mas não consigo imaginar porque deveria ter uma referência bíblica pra comemorar ou não o nascimento de Cristo, a bíblia não foi escrita pra te dar todas as respostas como você quer, além do mais mostra onde proibe esta comemoração? "Calvinista"...rsrs,pra terminar a bíblia tem referência para aqueles que se acham bons!!(Calvinista)recomendo uma conversa de Jesus com os farizeus. há sim, meu nome é Wesley dos anjos.

Bíblia On Line