quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Porque será?


Por que será que o homossexual e a lésbica podem defender sua posição publicamente e isso é chamado de ousadia, mas se o cristão fizer o mesmo é chamado de preconceituoso, prepotente e retrógrado?

Por que será que os personagens gays nos filmes e novelas são bonitos, elegantes, cultos e tolerantes, mas se o mesmo programa mostrar um evangélico, esse será feio, estúpido e supersticioso?

Por que será que alguém pode falar com convicção de fadas, duendes e vampiros e é admirado por sua versatilidade, mas quando o crente fala de Deus é chamado de ignorante? Por que será que filmes cheios de erros históricos que degradam a verdade conhecida sobre Jesus são sucesso, mas quando se faz um filme que mostra o seu comprovado sofrimento isso é considerado exagero e apelo à violência?

Por que será que aqueles que defendem a dissolução das famílias e fazem apologias do divórcio são vistos como progressistas, mas quando alguém mostra a verdade sobre as famílias destruídas e apela aos valores tradicionais é taxado de atrasado, medieval e saudosista?

Por que será que o evolucionista é tido como cientista e suas afirmações, mesmo quando as mais absurdas, nunca são verificadas até quando suas bases científicas falham, mas o criacionista é ridicularizado mesmo que apresente bons fundamentos na ciência?

Por que será que quando um crime é cometido por um crente logo se acrescenta: "João da Silva, evangélico..." e não se faz o mesmo caso o perpetrante seja católico, espírita ou budista? Por que será que a escola de samba, o baile funk e o terreiro de macumba podem fazer o barulho que quiserem até o sol raiar e isso é chamado de cultura, mas se o culto demorar um pouco mais ou tiver o som mais alto há um processo e o templo corre o risco de fechar?

Por que será que o mundo apela para a tolerância de tudo e de todos, de religiões e costumes os mais diversos, mas quando toca ao Cristianismo se fecha em completa intolerância e preconceito? Por que será?

Provavelmente é assim porque a tolerância pregada no mundo moderno é na verdade uma indiferença que demonstra falta de princípios, valores e convicções e que quer se isentar de toda responsabilidade. É no fundo uma atitude totalmente negativa de quem não sabe, não quer saber e não se importa minimamente com as consequências. É uma falsa liberdade para cada um se destruir como quiser.

Criou-se o entendimento no mundo pós-moderno que não há verdades absolutas. Que cada um tem a sua verdade e pode viver segundo ela. Nada poderia ser mais falso e prejudicial ao homem. Cada um pode viver a sua verdade, mas não pode forçá-la a ser a verdade. Cada um tem a liberdade para agir como quiser, mas não pode fugir da lei da colheita, que continua inexorável: o que o homem semear, isso é o que vai colher!

O homem é livre para semear milho, mas não pode esperar colher cevada ou feijão. Pode fumar o quanto quiser, mas não pode fugir do risco muito aumentado de ter um câncer. Pode destruir as famílias, mas não pode esperar encontrar crianças mais felizes e jovens mais ajustados. Pode usar as drogas que quiser, mas não é livre para escapar das consequências físicas e mentais das mesmas. Pode ser promíscuo sexualmente, mas não é livre para escapar das DST.

Resumindo: o homem é livre para viver a sua verdade, mas não vai escapar da pura verdade que é verdade quer queiramos ou não e que sempre assim será porque não depende do homem. Logo, em vez de negar a existência da verdade, a atitude mais coerente e inteligente seria procurar conhecer a verdade e experimentar, então, a verdadeira liberdade.

Diante do discurso hipócrita do mundo, que na prática nos trata com intolerância, não é hora dos cristãos se encolherem e rastejarem para uma trincheira confortável, atrás dos bancos de nossas igrejas. Devemos ter a ousadia de, com educação mas firmeza, declararmos nossas posições, defendermos nossos princípios e anunciarmos a verdade eterna que conhecemos e que faz toda a diferença na realidade humana.

Está na hora de dizermos que Deus é real e ama a todos os homens, mas não aprova tudo que fazemos. Que como cristãos amamos os homossexuais e as lésbicas, mas que eles vivem na contramão da criação, negando o que é natural na experiência humana e que suas "opções" tem consequências graves tanto físicas quanto espirituais. Está na hora de termos a coragem de dizer que a pressão política para adotar o homossexualismo como natural é errada e perniciosa e está ajudando a destruir nossa sociedade, nossa moral e nossas famílias.

Está na hora de afirmar que o casamento é a mais nobre instituição criada por Deus e que a família bem ajustada é a base da sociedade, onde nossas crianças poderão crescer com segurança e nossos jovens encontrarão direção.

Está na hora de afirmar que a disciplina parental é urgente, necessária e indispensável. Que as crianças e adolescentes não tem estrutura psicológica e espiritual para mandar em casa e que precisam de pais presentes, amorosos e afirmativos, mas também firmes numa disciplina comedida e numa educação clara. Que nossos jovens precisam de limites para se desenvolver melhor e que aos 18 ou 20 anos os filhos não estão criados ainda e continuam precisando de amor, conselho e orientação.

Está na hora de dizer que toda a pressão do mundo científico em prol da teoria da evolução é baseada em achados duvidosos, muitos deles já desmentidos, e que as afirmações bombásticas com que enchem a mídia é mais golpe de publicidade que verdade científica. É hora de lembrar que os maiores cientistas da história foram cristãos e que muitos dos mais renomados cientistas da atualidade, nas mais diversas áreas, são criacionistas convictos e que a posição criacionista tem larga base científica e não é o delírio de um bando de religiosos.

Está na hora de dizer que autores sensacionalistas são na verdade apenas aproveitadores que utilizam a figura de Jesus para ganhar dinheiro de forma covarde e mesmo desprezível, inventando estórias e criando falsas teorias quando a verdade histórica de Cristo está muito bem estabelecida.

É hora de lembrar que os materiais que temos em mãos sobre a vida de Cristo foram produzidos por testemunhas oculares e que nenhum outro personagem histórico tem tantas provas de sua existência e atuação quanto Jesus de Nazaré.

Está na hora de dizer que o estereotipo de evangélico ignorante e facilmente manipulável e do pastor burlão e sem escrúpulos é isso mesmo, esteriotipos. Que as igrejas evangélicas são abertas e nelas há todo tipo de gente, desde pessoas com ausência de compromisso e total desrespeito aos princípios bíblicos, até crentes verdadeiros e sinceros, que buscam viver como Jesus viveu.

É preciso afirmar que nas nossas igrejas há gente simples mas comprometida, bem como toda gama de profissionais como advogados, engenheiros, médicos, professores, mestres universitários e juízes e que a maioria dos nossos pastores são homens sérios que dão a vida pelo bem de seus liderados.

Está na hora de dizer que a Bíblia é a palavra de Deus para o homem. Que para essa fé temos provas práticas e cientificas e que as páginas da escritura tem levado vida a milhões ao longo da história. Está na hora de dizer que os erros de alguns dirigentes da igreja não invalidam seu valor como organização.

É preciso lembrar que a igreja que tem servido a humanidade e criado instituições como hospitais, asilos, escolas, universidades, bibliotecas e outros serviços públicos. Está na hora de dizer que a oração é real e prática, que o Deus verdadeiro ouve e responde as orações e que essa é a experiência vivida por centenas de milhões a cada dia.

Está na hora de exigir respeito por nossas convicções e declarar a verdade sobre os sistemas do mundo atual, que só nos levaram à corrupção desenfreada, cobiça sem limite, materialismo alienante, violência desmedida e à crise mundial.

Este não é momento para hesitações e suavidades. É hora de convicção e ousadia. O mundo está perdido e sem rumo e não serão crentes imaturos e titubeantes que o ajudará a conhecer a direção.

Somos seguidores daquele que disse ser "o caminho, a verdade e a vida". Precisamos saber quem somos e declarar a fé com a coragem que caracterizou os profetas como Elias. Diante do domínio público e político de culto a Baal, o homem de Deus ousou se levantar para dizer a verdade. Deus o honrou e até fogo choveu do céu.

Não creio que isso torne a acontecer, mas serão preciso homens e mulheres que possam falar como o profeta:

"Vive o Senhor, na presença de quem eu estou..."

Aqueles que assim viverem irão incomodar, sofrerão intolerância, mas serão os poucos que poderão fazer uma grande diferença.

Autor e Fonte: Joed Venturini

Titulo Original: Desabafo de um evangélico

2 comentários:

Pedro, Débora e Patrick disse...

Por que será????
Deve ser porque, como disse Jesus:
"Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. Se vós fósseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia." Jo 15:18,19

Em Cristo,
Débora Silva Costa
http://ferazao-bang.blogspot.com/

Marcelo Batista Dias disse...

Bem lembrado Débora,
O problema é que esse texto parece q foi arrancado da biblia de um monte de "crente" por aí.

Abrçs.
Marcelo

Bíblia On Line